09 fevereiro 2016

Carnaval


Deutsche Bank

Financial Review cites Paul Schulte, the Chief Executive of SGI Research, who warned that the bank is not only sitting on a mountain of bad assets dating from the previous crisis, but is holding "a large book of commodity-related derivatives that are under stress from the collapses in most commodity prices." (Oh, really! Everyone knows that Deutsche Bank has the world’s largest portfolio of derivatives.)
Deutsche Bank is not alone, opines Schulte: "This has been brewing under everyone’s nose, because while people thought that the problem was periphery banks in Ireland or Spain, the actual problem is that Deutsche Bank, and the French banks with lots of toxic debt in commodities, are over-stretched; badly run; have no sense of risk management, and are organs of state capitalismo."

EIR

exposição do DB no mercado de derivados


Deutsche Bank - a passion to perform


08 fevereiro 2016

vai ser um bestseller

Telefonou-me um amigo a quem pedi para ler "A Peregrina" e me dar algum feedback. Ainda não parou de ler e... não consegue parar de rir.
Não sei se isto é bom ou mau :-)

é incompatível

«El islam es incompatible con nuestra cultura. Sus regímenes son teocracias que se fundan en la voluntad de Alá, mientras que en Occidente se fundan en la democracia, en la soberanía popular».

07 fevereiro 2016

para o Rui Alves

Atiraram-se para a cama e a Micaela saltou para o lado da Fátima e abraçou-a.

− Hoje foi um dia maravilhoso, – disse a Micaela – estou muito feliz por ires ser mãe, é
o sonho da tua vida!
− Foi um dia muito divertido, tirando a besta do Aparício – desabafou a Fátima.
− Nem fales – e dizendo isto a Micaela afagou o rosto da amiga e beijou-a. Primeiro no
rosto e depois nos lábios.
− Que bom, Micaela – sussurrou a Fátima.
− ‹‹I kissed a girl and I liked it››... – e ambas sorriram.

... continua.

JC, in A Peregrina

PS: Vou fazer alguns contactos com editoras e espero que "A PEREGRINA" esteja à venda brevemente. Até lá vou deixando aqui alguns excertos para aliciar os futuros leitores :-)

S. João d'Arga



A Fátima e a Micaela ficaram à espera de mais, que grande história é que a professora teria para lhes contar.

Vocês conhecem a romaria de S. João d’Arga, a 28 e 29 de Agosto? – a Fátima e a Micaela acenaram, que sim – Então sabem que à volta da Igreja há umas construções, com lojas em baixo e alojamentos no 1º andar. Nos dias de festa, as lojinhas vendem aguardente com mel e os romeiros, depois de darem três voltas à igreja e de deixarem uma esmola para o S. João e outra para o Diabo, entregam-se à bebida, às cantigas ao desafio, e à dança... até de madrugada, quando recolhem aos alojamentos coletivos, onde a festa continua.
Ai meu Deus – exclamou a Fátima – não me diga que é o que eu estou a pensar!
Não te faças de sonsa – cortou logo a Micaela – eu já tinha ouvido falar.
Pois, quando eu digo que a festa continua – prosseguiu a professora – quero dizer que continua de maneira mais desbragada e carnal. E algumas mulheres que não conseguiam engravidar com os maridos aproveitavam a ocasião para explorar outras possibilidades.

JC, in A Peregrina

adivinhem

Adivinhem qual é o funcionário público. Eu deixo uma dica:

  1. Ganha acima da média
  2. Trabalha 35 horas
  3. Almoça fora (a comida nos restaurantes fica com IVA reduzido no OE2016)

os beneficiados

Dos menos de 800 milhões de euros de medidas que aumentam a despesa, quase 500 milhões, mais de metade, são para a reposição acelerada dos cortes salariais na função pública. O outro grupo de beneficiados é o dos empresários da restauração: a reversão do IVA para a taxa de exceção vai custar ao erário público 175 milhões.

Jorge Costa, no Observador

05 fevereiro 2016

fiscalidade II

fiscalidade I

04 fevereiro 2016

fascinado pela Venezuela II


orgulhosamente sós

FMI


Comentário: Não acreditam no governo.

o empata engraçadinhas

um ingénuo distraído é um estúpido, não é?

Esqueçam

1. Só os ingénuos ou distraídos é que poderiam pensar que se podia, ao mesmo tempo, aumentar substancialmente a despesa pública (em remunerações, pensões e prestações sociais), reduzir a receita pública (a sobretaxa do IRS, a TSU sobre os salários mais baixos e a leviana redução do IVA sobre os restaurantes) e, mesmo assim, diminuir o défice orçamental.
Porém, milagres financeiros nem em Fátima!

Económico

fatal attraction

03 fevereiro 2016

acabei


soma zero

o bom social-democrata

Há anos, escrevi um texto a que chamei "O Bom Comunista", que incluí no meu livro "O Sonho Americano e o Pesadelo Europeu".
O texto é um desabafo e uma surpresa por ainda haver tantos comunistas por esse mundo fora depois do falhanço estrondo do comunismo, em todos os países em que foi tentado. A desculpa para este comportamento irracional é que o comunismo é bom em teoria mas na prática foi sempre implementado por "maus comunistas" e daí o insucesso. Com bons comunistas teria sido outra coisa...
Vem isto a propósito de ouvir por aí o mesmo argumento relativamente ao "socialismo democrático" ou social-democracia. O problema não está na ideologia, dizem, mas nas pessoas. Falsos sociais-democratas, corruptos e mercenários, que enganam o povo, em proveito próprio e dos amigalhaços. Com bons sociais-democratas seria outra coisa...
Não tenho esta visão. As pessoas são muito importantes e os líderes fazem a diferença, com certeza. Mas uma ideologia maligna é como um cancro, mais tarde ou mais cedo é fatal.

02 fevereiro 2016

aborto & contracepção

O vírus da Febre Zika é absolutamente benigno, excepto pela sua associação  - ainda não demonstrada cientificamente - a malformações congénitas, das quais se destaca a microcefalia.

A contracepção e a interrupção da gravidez podem ajudar a controlar, de forma eficaz, estas complicações, mas...

... a maior parte dos países da América Latina é profundamente católica e o aborto, por exemplo no Brasil, é ilegal (excepto em situações excepcionais que não contemplam a microcefalia*).

Estou convencido que a febre em torno da Febre de Zika se destina a alterar esta situação.

* Julgo que a microcefalia apenas poderá ser diagnosticada, com segurança, no último trimestre da gravidez - a complicar ainda mais as coisas.