15 julho 2007

o nosso liberalismo

"O nosso liberalismo [saído da revolução francesa, 1820-1926] soava a falso - foi sempre intolerante e jacobino. Sê-lo-ia amanhã mais refalsadamente se pudesse outra vez instalar-se no Poder. Deixaria de ser apenas anticatólico para ser anticristão, irreligioso, furiosamente ateu; deixaria de ser estranho às coisas do espírito para ser teórica a praticamente amoral. A sua tendência fatal para a exploração das massas sem benefício palpável para o povo, para o igualitarismo em baixo, levava-o, e levá-lo-ia ainda mais, para o ódio a tudo o que é superior pela inteligência, pela virtude, pela beleza".
(Salazar, 1934, in Mendo C. Henriques e G. Sampaio e Mello (org.), Salazar: Pensamento e Doutrina Política, Lisboa: Verbo, 2007, p. 143)

2 comentários:

Manuel Martinho disse...

Isto de citar tiranos sanguinários anda a ter sucesso.

Anónimo disse...

Finally, many users bаѕk the rеstful knead that it was the commеncement one sanctіoneԁ bу
the leаrning abilіtу, аurаwave
too peгforms a fеw other significant functіons that
facilitаte ply assuagement.
my site > more