09 junho 2018

agradecimento

Há um pequeno número de coisas que eu queria dizer antes de Terça-feira, que é o dia em que será pronunciada a sentença do meu julgamento.

A principal é um agradecimento aos leitores do Portugal Contemporâneo.

Sem vós, a minha vida teria sido horrível nos últimos quatro meses e, muito provavelmente, para sempre.

Sabendo da vossa presença aí do outro lado - e, sobretudo, outros sabendo da vossa presença aí do outro lado -, não foi assim tão má. Em certos momentos foi até agradável.

Na realidade, e independentemente do que o juiz venha a decidir, eu sinto-me um homem feliz, uma condição muito improvável para quem aguarda uma sentença.

Fiz aquilo que podia fazer. Não seria capaz de mais.

Um homem sozinho não consegue muito. Precisa dos outros.

7 comentários:

Anónimo disse...

"Ora, a verdade é que, embora também possam ocorrer aí (no mundo exterior), os milagres ocorrem, em primeiro lugar, através das pessoas."

Pedro Arroja, 30 de outubro de 2013

http://portugalcontemporaneo.blogspot.com/2013/10/milagre.html


A.

Anónimo disse...

Encontrei o seu post com a seguinte query no google:

comunidade + deus site:portugalcontemporaneo.blogspot.com

A.

dfrodrig disse...

E aqui continuaremos! Bem haja!

Anónimo disse...

Caro Pedro Arroja,
Eu, leitor atento, é que agradeço. E agradeço a sua luta contra um sistema com tendência para a tirania que os fariseus usam para salvaguardarem e ampliarem os seus privilégios de casta, e espero que em breve publique tudo em forma de livro.
E quando preenchi a declaração de IRS não me esqueci de procurar o NIF da associação Joãozinho.
Quanto ao desfecho a ser anunciado terça-feira, quase que me apetecia que o Pedro Arroja fosse condenado para poder continuar a usufruir de mais um ano de luta deste nível intelectual pela liberdade de expressão. Espero é que nos exemplos para ilustrar a tirania não recue sempre ao pré 25 de Abril. Logo pouco a seguir ao 25 de Abril, Costa Gomes veio demonstrar imediatamente que isso de liberdade de expressão era inadmissível (ver blog portadaloja), e recentemente até Manuel Alegre fez o mesmo. Para quem estima a Liberdade, o regime pré 25 de Abril não era assim muito mais odioso que o regime actual.
Mas obviamente prefiro que o PA seja já inocentado e se possa dedicar a outras lutas, pelo valor das outras lutas e também porque isso significaria que começa a haver alguns juízes em Portugal que não estão necessariamente ao lado da casta a que pertencem, ou seja, são verdadeiros juízes independentes como todos deveriam ser.
Muito obrigado.
A. Gomes

José Lopes da Silva disse...

"Uma das questões a que os organizadores da Faculdade de Estudos Avançados da Universidade de Londres esperam responder é "como conseguiu um país com recursos limitados deixar uma marca que sobreviveu a sucessivas potências imperiais que se seguiram?".

Uma das organizadoras, Shihan da Silva, afirmou à agência Lusa que esta "influência portuguesa persistiu através dos tempos, porque [os portugueses] assimilaram [informação] e interagiram com as pessoas com as quais entraram em contacto, noutras partes do mundo"."

https://24.sapo.pt/atualidade/artigos/academicos-vao-discutir-em-londres-influencia-historica-portuguesa-a-nivel-global


Este blogue é, há muitos anos, um espaço de debate, discussão e reflexão como há muitíssimo poucos em Portugal. Incluindo na blogosfera. Esteja-se ou não de acordo, e especialmente quando não se está, como foi o meu caso muitas vezes.
Tudo o resto vem por acréscimo - incluindo estas reflexões sobre o estado da Justiça em Portugal e a capacidade do Estado bloquear projectos da sociedade civil que, para quem está deste lado, são os temas de debate dos últimos tempos. Da minha parte, eu é que agradeço.

Manolo disse...

No puedo perder tu condena. El Lunes viajo para Oporto. Puedo dormir en tu casa?

filipe disse...

Exmo,

Mais uma vez, é transparente quem está falar verdade e quem não está. Ainda assim, boa sorte.

Agradecido,

Filipe