01 setembro 2014

investir na defesa

Obama and Cameron to tell Nato allies to increase defence spending

Leaders are backed by former senior military commanders who say allies must shoulder their share of the military burden and stop relying on others to prop them up

Comentário: Aí está o fim da austeridade

2 comentários:

Rui Alves disse...

Fim da austeridade, ou sinal do seu agravamento? Parece-me é que os Gringos e os Bifes estão sem cheta para financiarem eles a defesa dos seus vassalos na Europa Ocidental. O abandono da nossa Base das Lajes é disso uma evidência.

Alexandre Portugal disse...

Investir na Defesa... Hum... Vamos investir agora numa área em que só dentro de alguns anos veremos algum resultado...

Entretanto o mundo mudou. Os carros de combate com blindagem combinada tornam-se inúteis num combate predominantemente urbano; as espingardas de assalto com longe alcance e cano longo deixam de fazer sentido nuo combate que agora se faz a 100 ou 200 metros, a artilharia de campanha faz o caminho para deixar de efectuar bombardeamentos à zona dando lugar ao bombardeamento cirúrgico, de precisão.

Mas tudo isto tem de ser pensado com antecedência, procurando antecipar a natureza dos problemas que poderão surgir daí a uns anos. trabalhar para o futuro com base na história do presnete dá mau resultado.

Na guerra, como na economia, o empreendedor tem que procurar antecipar os fenómenos e não responder-lhes, tem de procurar prevenir antes de reprimir, deve procurar antever muitas de de todos os outros quais as vantagens tácticas que lhe podem dar a supremacia...

Tudo o resto é suor.

http://pensamentoliberalelibertario.blogspot.pt/