06 agosto 2018

Entonces!?

Terminou no passado dia 12 de Julho o prazo para a entrega dos recursos sobre esta sentença (cf. aqui) no Tribunal da Relação do Porto.

Só eu recorri. Nem o Ministério Público/Paulo Rangel nem a Cuatrecasas apresentaram recurso.

É caso para perguntar: Entonces!?

O Paulo Rangel/Ministério Público reclamavam de mim, pelo crime de difamação agravada, uma indemnização de 50 mil euros e uma pena que poderia ir até 3 anos de prisão. O Tribunal de 1ª instância de Matosinhos não lhes concedeu nada.

E eles ficaram felizes, não recorrem?

O caso da Cuatrecasas não é muito melhor.

A Cuatrecasas reclamava de mim, pelo crime de ofensas, uma indemnização de 50 mil euros. O tribunal de 1ª instância concedeu-lhe apenas 10% deste valor, 5 mil (a sentença só se torna efectiva após esgotados todos os recursos).

E eles ficaram felizes com esta bagatela, não recorrem?

Que grandes advogados - os do Ministério Público e os da Cuatrecasas -, que grande a convicção e competência que põem nos processos judiciais em que se envolvem!

Há quem especule que nem o Ministério Público/Paulo Rangel nem a Cuatrecasas recorreram por causa do Portugal Contemporâneo, uma tese já avançada pelo João Miranda aqui.

Talvez, da próxima vez que decidam intimidar alguém, vão intimidar a prima deles.

Se eu espero ganhar o recurso?

Nas calmas. Ainda por cima sem oposição...

4 comentários:

Anónimo disse...

Não é bem vencer por falta de comparência do adversário... mas não está longe.

Manolo disse...

Vais al infierno👹

Anónimo disse...

A Cuatrecasas e o Paulo Rangel devem estar cheios “d’tóbire”.

CCz disse...

Perdoe-me o francês

F*ck you Joãozinho http://www.jornaleconomico.sapo.pt/noticias/residencia-oficial-do-primeiro-ministro-vai-ser-reabilitada-valor-719-mil-euros-342416#.W2nbemTMikN.twitter