14 novembro 2015

insignificante

Como parece insignificante a politiquice nacional quando comparada com os grandes problemas internacionais.
‹‹Não acompanho telenovelas›› digo aos meus amigos quando me pedem opinião sobre o momento político que atravessamos. Deixei de ver televisão e quase não leio jornais, há uma fadiga que se instala e um limite para tudo.
Os trágicos atentados de Paris podem ajudar-nos a reenquadrar os nossos problemas e a distinguir o fundamental do acessório.

37 comentários:

Anónimo disse...

Eu também já não vejo noticiários nacionais, porque me enojam. Mas não resisto a dar a minha "biqueirada". Num momento crítico da actualidade internacional, em que a situação se vai agravar, torna-se (ainda) mais evidente que o Governo de Portugal não pode estar dependente de partidos de extrema-esquerda que estão sempre contra o Ocidente e a favor de tudo o que sejam causas anti-democráticas, anti-europeias e anti-ordem internacional liberal.

O Governo de Portugal não pode ser influenciado por quem desculpabiliza o terrorismo, o Putin, e tudo o que seja despotismo do terceiro mundo. Sabemos quem somos, sabemos quem nos apoia e quem devemos apoiar. Somos Portugal!

zazie disse...

Mas não se separam uns dos outros porque os trágicos acontecimentos de Paris ainda podem espalhar-se e tornar-se mais trágicos por toda a Europa.

E aí a responsabilidade é dos mesmíssimos que neste momento também estão a dar a golpada.

É o altruísmo patológico do homem branco a que a escardalhada ainda dá mais alento e arranja mais vítimas para acalmar a fúria dos bárbaros que acarinha.

zazie disse...

O imbecil do Costa não quer construir uma mesquita no Martim Moniz?
Com dinheiros públicos, claro.

Não são os imbecis do BE que têm como slogan aquela imbecilidade de "as fronteiras matam; toda a gente em toda a parte".

Basta ler por aqui o da cubata e mailo tarado do Harry Lime para se perceber como os lunáticos desejam um mundo às avessas e militam por ele.

zazie disse...

E chamam racistas e xenófobos aos que são realistas.

Estes atentados nunca são também fruto de racismo assassino porque para estas bestas só existe racismo mental dos europeus a quem chamam fascistas e nazis.

Os assassinos islâmicos são sempre vítimas porque o Outro é que tem de ser a eterna Vítima do Homem Branco.

Ricciardi disse...

Portanto o problema dos atentados é do Costa porque licencia uma mesquita. Essa é boa.
.
Que puto de problema tem em haver mesquitas?
.
Como confundes tudo e metes tudo no mesmo saco acabas por não dizer nada que se aproveite.
.
Rb

Ricciardi disse...

Ora, é precisamente ao contrário. A liberdade de haver liberdade de culto não tem nada a ver com atentados. Os atentados são feitos por gentes taradas. Alguns elementos do ISIS são europeus, criados no cristianismo.
.
Rb

zazie disse...

Vai-te montar num porco.

Tu metes nojo e és daqueles que merecia apanhar com uma merda destas no lugar de outros.

Metes nojo porque tu militas por este mundo às avessas a destruir um civilização e ainda te dá gozo e serve para combate tribal a chamar racistas, nazis e xenófobos aos que previam isto.

Embrulha-te nessa merda e suicidem-se todos que já chega. Já basta a invasão, está a mais quem a patrocina e defende.

Volta para a cubata ou refugia-te em Israel que eu de ti o que mais quero é distância.
De ti, e de toda a merda Lime e de tudo o que fede a este internacionalismo imbecil dos milenaristas marxistas.

De ti e de toda a merda que contribui para isto com a bocarra cheia de Papa Francisco e de capitalismo e de muito combate ao racismo ocidental e aos nacionalismo dos europeus.

zazie disse...

Andaram estes merdas a defender bombardeamentos na Síria e a dizerem que não há nem pode haver azar abrir a porta ao islão porque os europeus nem querem trabalhar, o desemprego é mentira e sem islão cá dentro isto fica na miséria.

Puta que vos pariu a todos e estou a falar a sério. Metem nojo. Nunca mais trocarei uma palavra com putedo deste. E deviam ser bloqueados até ficaram em guetho escardalho em vez de andarem por todo o lado a minar o que é dos outros.

Ricciardi disse...

Os assassinos não são 'os islamicos'. São pessoas concretas. Assim como os assassinos nazis não eram os cristãos. Eram tb pessoas concretas.
.
Batalhas tudo. Sabes porque?
.
Porque queres muito parecer que não és racista. Queres muito que dos refugiados surja um terrorista para depois vires dizer: estais a ver?
.
Rb

marina disse...

nao vai ser bonito de se ver , uma europa a arder defendida por uns tansos governantes da "democracia representativa" . os piores no comando , sim senhor , belo sistema.

zazie disse...

Onzeneiro fariseu é isso, sempre foi isso e sempre fizeram tudo para rebentarem com as nacionalidades.

Pela fuçanga do lucro. Porque são merdas apátridas que ainda lucram mais não havendo fronteiras na terra dos outros.

E porque são merdas de tal modo fariseus que tudo tem sempre um interesse de povo eleito por trás.
Porque enquanto Paris estiver arder ou outras capitais europeias por combaterem terroristas na Síria está Israel de costas mais aliviadas.

zazie disse...

Olha, tu também bem podes limpar os dedos à parede porque a ti já eu vi defender tansos bloquistas e varoufakis e toda a merda só por também te irem à barriguita.

A tua diabolização do Passos Coelho não é muito diferente da diabolização que os onzeneiros e fariseus barriguistas fazem.

Sempre o interesse pessoal primweiro.

Desculpa o tom mas acabou. Para mim deixou de haver diálogo com pascácios de todos os géneros e feitios.

Cordão sanitário e guetho para os imbecis e empatas.

zazie disse...

Essa de papaguear a cena da diabolização da "democracia representativa" a quem defendia os sovietes de democracia directa e nunca sabe o que quer, ´também é mais uma imbecilidade a funcionar.

Se fosse ditadura não participativa devias adorar e amochar por efeito de culto da personalidade deslocado do que devia ser culto divino.

cfe disse...

Nexo causal...

Os nazis utilizavam o argumento da supremacia ariana para fazer o que faziam. Não era o fato de serem brancos, cristãos ou europeus.

A mesma coisa agora com os islamicos. Não é o fato de ser da Ásia, da Africa ou outra característica. Quando a querela é contra o Ocidente o islamismo é que une. Quando a pancadaria é entre eles é que são mais especificos acerca da corrente adotada dentro do islamismo

cfe disse...

Onde estão as vozes moderadas do Islão? Porque não se opõe?

Anónimo disse...

Há uma coisa- só uma- em que os terroristas têm razão:" Hollande é um imbecil".

E eu acrescento: os líderes europeus- exceto o húngaro-, são uns totós.

gaudio

Ricciardi disse...

CFE, só mesmo quem não conhece mundo é que pode dizer que não há vozes moderadas no islão. Há e até são a esmagadora maioria. Eu tenho tantos amigos muçulmanos e nenhum deles é o retrato que fazem deles.
.
É, digamos, uma generalização que se faz mas que é incorrecto.
.
Há, num universo de uns biliões de islâmicos uma minoria q é fanática.
.
Aquelas pessoas sirias q fogem dos fanáticos são pessoas comuns. Por isso fogem. Iguais a qualquer cristão ou hindu.
.
.
Rb

Ricciardi disse...

Os actuais lideres húngaros são uns valentes merdas. E só não advogo a expulsão da Hungria da UE porque os húngaros não tem culpa dos dementes que tem a lidera-los.
.
Rb
Rb

Cfe disse...

"só mesmo quem não conhece mundo é que pode dizer que não há vozes moderadas no islão"

De modo público persistentemente ?

Ricciardi disse...

Sabes, CFE, os noticiários são enganadores. Se um estrangeiro vir um telejornal português fica com a ideia de q se trata dum país perigoso. Todos os dias retratam mães que matam filhos, homens que degolam as mulheres. Vizinhos que assassinam vizinhos. Enfim, é um retrato q dá ideia q isto por cá é uma coisa q não é.
.
Ora, o que nos vemos no telejornal acerca do islão é também um retrato em forma de concentrado de más notícias porque focam as notícias naquilo q é mau. Mas na realidade não é assim.
.
Se passeares no Líbano não vais encontrar os terroristas nem os fanaticos que pensas. Aliás não vais encontrar nenhum. Passeas por Trípoli e falas com pessoas comuns, normais, iguais a qualquer outra em Portugal. Na Turquia e no Irão, na indonésia é a mesma coisa.
.
Aqueles tipos w aparecem nos telejornais com fitas na cabeça, os jihadistas, não existem no dia a dia. Aparecem para as televisões da mesma forma que se mobilizam manifs sindicais da CGTP.
.
Rb

Cfe disse...

Já foste lá para saberes ?

Ricciardi disse...

Muitas vezes.

Cfe disse...

Olha lá... já que viajas muito.

Tripoli é capital do Líbano, é? Sim porque quem lê o teu texto aí acima vê uma pessoa conhecedora da profunda verdade acerca do assunto pois só "vê pessoas normais por lá".

Quem vai a um lugar "muitas vezes" conhece pelo menos o nome do lugar que visita.

Mas sabe o que mais ?

Acho que não preciso dizer mais nada.

Josephvs disse...

Dedicacao ao Joaquim:

http://breizatao.com/2015/11/14/attentats-islamistes-revendication-en-francais-de-letat-islamique-audio/

zazie disse...

Para os militantes da poltranice:

Passaporte sírio encontrado junto a um dos terroristas foi registado em ilha grega

As fronteiras matam; toda a gente em toda a parte.

zazie disse...

Esfreguem aqui as fuças

http://observador.pt/2015/11/13/atentado-em-paris-tera-provocado-varios-mortos/

Jorge Gaspar disse...

A Europa está dominada por Ricciardis. Os Ricciardis acham-se senhores de uma inteligência suprema. Os Ricciardis acreditam em todas as teorias fracassadas. Os Ricciardis recusam-se a aceitar o óbvio. O EI dizia que ia aproveitar a onda de refugiados para meter alguns membros na Europa, grande parte dos Europeus percebendo o risco que corriam, foram recusando a entrada de refugiados nos seus países, mas para os Ricciardis não há problema nenhum. É tudo gente de bem, é tudo amigo dos Ricciardis.
Os Ricciardis como não vêm os muçulmanos todos a cometer assassinatos e apenas uma minoria o faz, acha que a maioria é pacífica, mesmo quando a maioria dos muçulmanos fica quietinha como um rato a regozijar-se sempre que há matança.
O nosso problema não são os Ricciardis, o nosso problema é que os nossos líderes são Ricciardis, sempre ignorando a evidência e sempre a dar lições de moral, a quem lhes fala do tamanho do buraco que cavam.
Os Ricciardis são muito cultos e pessoas muito viajados, tão viajadas que chegaram a estar no Libano e em Tripoli ao mesmo tempo.

Só tenho pena que os Ricciardis não sirvam de escudo nestes massacres. O Ricciardi mor Francês esteve perto de servir de escudo. Para a próxima que sejam as vidas dos Ricciardis as primeiras a servir as causas islâmicas.

Ricciardi disse...

Que ironia, a mãe dum terrorista (frances) era portuguesa.
.
O que vão dizer agora os gaspares e as zazies?
.
Que a culpa é do acolhimento devido aos refugiados?
.
Que a culpa é dos povos dos progenitores dos terroristas?
.
Os gaspares e as zazies deverão ser impedidos de entrar em França porque são da mesma nacionalidade dos emigrantes que geraram um terrorista?
.
Rb

Jorge Gaspar disse...

Era filho de uma Portuguesa e de um Argelino. São sempre islâmicos. Independentemente da nacionalidade da mãe este era Islâmico. O que é que o facto da mãe de um deles ser Portuguesa. Queres ver que afinal era cristão. Tu és um verdadeiro imbecil. Tu és um imbecil tão grande que sendo tu muito viajado e com tantas viagens ao Libano não consegues distinguir a capital do Libano da capital da Líbia. Isso só aconteceu porque na realidade nunca lá tiveste. És um aldrabão e nāo estou para perder mais tempo com imbecis e aldrabőes. Vou fazer como o cfe que deixou de perder tempo com este imbecil mentiroso

É óbvio que a entrada massiva de refugiados coloca em risco a Europa, e é óbvio que essa entrada massiva levará mais rapidamente ao poder quem possa resolver a falta de segurança e liberdade que a população Europeia sente. A esquerda cheia de lições de moral, sempre armada em madre Teresa não percebe algo tão óbvio. São os imbecis dos Ricciardis que colocam em risco os Europeus e que mais tarde levarão ao poder pessoas extremistas.

São os mesmos imbecis que dizem que os árabes são todos excelentes pessoas quando nos países árabes existem os regimes mais retrógados violentos e atrasados que o mundo já pode experienciar. São imbecis porque não aceitariam que a Europa fosse invadida por membros do klu klux klan, ou por outro tipo de grupos extremistas, mas aceitam a invasão massiva de quem acha que a mulher tem de estar tapada da cabeça aos pés.

As vaquinhas do bloco, ficaram muito incomodadas com as palavras do Arroja, mas depois ficam ansiosas pela chegada a Portugal de quem acha que elas devem sair de casa com uma manta preta da cabeça aos pés, não podem conduzir, não podem falar com homens fora da família, só devem sair de casa acompanhadas, e devem partilhar o marido com mais 3 ou 4 mulheres.
Eu sou homem e enquanto homem não consigo entender como é que há mulheres no ocidente a aceitarem esta vizinhança. Não percebo, será alguma espécie de atraso mental?
Se isto não é o cúmulo da imbecilidade não sei o que será

Ricciardi disse...

Coitadinhos dos refugiados. Já não bastava terem de fugir dos terroristas e passar o que passaram e agora querem empurra-los de novo para trás.
Porque? Porque são da nacionalidade dos pais e das mães dos terroristas.
.
É isto Gaspar que vcs defendem?
.
Not me.
.
Rb

Ricciardi disse...

Portanto, a lógica gasparina, ou luciferina, vai dar ao mesmo é: há terroristas que fingem ser refugiados, logo para acabar com os terroristas devemos cancelar a ajuda HUMANITARIA aos refugiados.
.
Ele há cada um.
.
O que vale é que são um minoria filiados nos PNRs. E se não estão filiados devem ter a alma resgatada pelo belzebu. Ou vendida, ou rendida.
.
Aliás, pelas palavras que usam e pela forma insultuosa como argumentam não há muitas dúvidas.
.
Rb

Ricciardi disse...

"As vaquinhas do bloco, ficaram muito incomodadas com as palavras do Arroja..."
.
O Pedro Arroja não pretendeu, na minha perspectiva, insultar as 'meninas'. Mas foi infeliz na forma como se expressou e acabou por perder a razão.
.
A razão dele é também a minha. O BE e o PCP tem ou defendem valores que partem a sociedade. Partem em valores que eu não abdico. No aborto, na adopção por gays etc.
.
Acho que nao devia ter dito o que disse, pessoalizando a coisa. Mas acho que deve continuar a dizer e defender os valores e moral cristã.
.
Não se combate o q achamos imoral com duas pedras na mão. É ao contrário o exemplo de Cristo. A prostituta foi salva por Ele do apedrejamento popular. Cristo não defendia a prostituição, mas compreende a prostituta. Não a insultou, atraiu-a para a moral.
.
Mais do que tudo, não atraiu os adoradores da maledicência. Deu-lhes uma valente lição.
.
O que o PA fez, ainda que involuntariamente, foi atrair pessoas que adoram que se humilhr o adversário. Vcs. Os gaspares que já vão na fase de chamar 'vaquinhas' às meninas do BE.
.
Rb

Jorge Gaspar disse...

Não é uma minoria filiada no pnr meu grande asno. É quem percebe que corremos o risco de perder milhares de anos de conquistas morais e civilizacionais ao deixar-mos entrar massivamente pessoas com ideias opostas ás nossas. Corremos o risco mais imediato de para salvarmos quem foge da guerra, não salvarmos ninguém, nem a nós nem a eles.
De todas as soluções possíveis esta é a mais parva e vamos levar com muitos anos de violência e com muitos pnrs por essa europa fora, á custa da imbecilidade, inocência, hipocrisia e moralismo dos Ricciardis.

Quanto ás vaquinhas do bloco. Eu não conheço nada sobre a vida sexual delas e portanto "vaquinhas" nunca poderia ter a conotação que atribuíste. Mas sem sombra de dúvida que são "vaquinhas" aquelas que consideram machista um homem que as apelide de esganiçadas, e consideram ao mesmo tempo normal que homens obriguem mulheres a andar tapadas da cabeça aos pés. São vaquinhas, sem qualquer dúvida.

Ricciardi disse...

Em suma, os refugiados para ti são terroristas.
.
Para mim são pessoas que fogem deles.
.
Mas podiam ser pessoas em fuga por qualquer catástrofe natural. Tinha a mesmíssima opinião.
.
Falas em conquistas civilizacionais. Pois, eu já nem falo disso. Falo duma coisa mais elementar: humanidade.
.
Queres abdicar de fazer o bem, aquilo que está certo. A isso chama-se desistência. Como quem diz: Des-Existencia.
.
Temos que exigir controlo nas fronteiras, nunca a desistência de fazer o que está correcto.
.
Temos de dar coça e caça aos assassinos. Não desistir de quem foge deles.
.
Rb

Ricciardi disse...

Isso é o que os assassinos querem. Eles querem é fechemos os corações. Que Expulsemos os refugiados para terem mais apoio popular e prosseguir com mais força.
.
Achas mesmo que são as fronteiras que evitam atentados?
.
És muito ingénuo. Não evitam. Nada. Rien.
.
Rb

Jorge Gaspar disse...

Ricciardi eu sei que a geografia, a honestidade e a matemática não são o teu forte. torna-se cada vez mais cansativo dialogar contigo, porque para além dessas limitações óbvias que enumerei, usas uma táctica marxista/nazi que causa bastante desgaste. A táctica é boa, e bem sucedida, mas desprezível. Acusas quem discute cnt sempre do mesmo, manipulas as palavras e ideias, para no final seres tu o humanista.

Tenho pena que faças isso, porque pareces ter em grande quantidade uma das virtudes que mais admiro, tolerância.
E é de tolerância que vou falar para te responder. Aquilo que separa o mundo muçulmano do resto do mundo é sobretudo a tolerância ou a falta dela. E não digo isto por considerar todos os muçulmanos terroristas, mas porque nos seus países não são tolerantes perante a diferença.

Ricciardi aqui entre duas pessoas que se consideram inteligentes: não achas engraçado que a esquerda (a maioria das pessoas que se considera de esquerda) diga que a intervenção Americana e Europeia no médio oriente foi um erro porque retirou do poder quem controlava a população, quem mantinha tudo em ordem?
Aquilo que está latente a esta ideia, é que aquelas populações muçulmanas precisam de ser mantidas em ordem. E porquê? Porque não são tolerantes. Assim que se retirou a mão de ferro que os controlava, começou a guerra entre todo o tipo de facções, porque não toleram a diferença.

Eu já pude ver com meus próprios olhos o quão diferente é a mentalidade muçulmana, e para pior, para muito pior. É como se todas as conquistas alcançadas pela humanidade fossem perdidas num fechar de olhos. É com tristeza que vejo aqueles que como eu defendem as liberdades individuais acreditarem que não as colocam em risco com a entrada massiva de muçulmanos. São ingénuos, muito ingénuos.
Por outro lado, existe um risco óbvio de recebermos membros de organizações terroristas islâmicas, como já parece ter acontecido nestes últimos atentados e não pudemos colocar em risco desta forma as centenas de milhões de vidas Europeias. Eu sei que muitos Sírios e Iraquianos apenas querem paz, mas a principal preocupação de um líder político é proteger a sua própria população. Tudo aquilo que se faça para proteger os refugíados não pode comprometer a segurança dos Europeus, correndo-se o risco de nem na Europa os verdadeiros refugíados estarem a salvo, nem os próprios Europeus


A invasão de países não começou com os estados unidos no Afeganistão ou Iraque, e nós Portugueses sabemos o que é ser invadidos por outros países, isso não justifica porém que países invadidos decidam combater sempre e em todo o lado aqueles que um dia os enfrentaram. Imagino o caos e a guerra absoluta se assim fosse. No entanto há quem pense que o facto de país A ou B ter sido invadido, justifica todas as atrocidades que daí decorrentes se possam cometer. São loucos, completamente loucos

Ricciardi espero que desta vez não digas que sou de extrema direita que não sou, membro do pnr que não sou ou qualquer outro tipo de cataloguização que te faça vencer debates aos pontos ganhando o prémio de maior humanista.

Sou liberal, porém, não tenho dúvidas que a liberdade levada ao extremo origina exactamente o contrário daquilo que pretende criar.

Jorge Gaspar disse...

Por último, estou farto das milhares de interpretações sobre aquilo que os terroristas islâmicos querem. Querem que fechemos as fronteiras, querem que fechemos os corações, querem isto, querem aquilo.

Eles querem é matar, e é apenas isso, matar o maior número de pessoas da pior forma possível, aqui, em França, na China, na India, na Russia, no
Bangladesh, na Nigeria. Seja onde for é apenas esse o objectivo. Matar