29 março 2015

não é normal


Os comportamentos pessoais não podem ser equiparados aos comportamentos sociais, nem mesmo quando um comportamento pessoal acarreta consequências sociais tremendas.
O suicídio, exemplo de um comportamento pessoal extremo, é radicalmente diferente do genocídio perpetrado pelos alemães no século XX ou pelo ISIS na atualidade. Ambos são um Mal, mas não são produto do mesmo Mal.
É irracional aceitarmos que um indivíduo perfeitamente saudável – o que a OMS designa de estado de completo bem-estar físico e psíquico – opta, num momento de lucidez, por fazer o “check-out” desta vida. Um instinto de sobrevivência saudável não o permite.
Pelo contrário, num contexto social, pode emergir a tal “normalidade do Mal” da Hannah Arendt. Que pode ir até ao último sacrifício, como o dos pilotos Kamikaze. Sacrifício que, contudo, não pode ser classificado, nesta situação, como comportamento pessoal.
Todos esperamos, dos outros, comportamentos ajustados à chamada natureza humana. Comportamentos que conhecemos tão bem que somos capazes de os prever com grande certeza. A doença mental consiste precisamente num desvio grosseiro do expectável.
O acto do copiloto do avião da Germanwings, neste sentido, é prova irrefutável da sua doença mental.

PS: Comentário a este artigo do P. Gonçalo Portocarrero

17 comentários:

zazie disse...

Opta? gostei do opta. Realmente, se já se opta por ser rabeta, porque não optar por ser mass killer.

zazie disse...

Por outro lado, também é gratificante saber-se que entre o nazismo e o ISIS o mundo não conheceu mais genocídios.

zazie disse...

Como é que sabe que não são produto do mesmo mal?

Acho que essa é que é pode ser uma questão pertinente.

Até que ponto a galvanização colectiva pode criar patologias ou os psicopatas se juntarem nelas.

Se quer a minha opinião, o nazismo é coisa à poarte porque foi guerra e nem se sabe bem como foram os massacres.

Tudo o que acéptico tem esse dom de escamotear as psicopatogias pessoais.

O tipo que lança a bomba atómica não tem de ser psicopta. Já o que corta cabeças à mão, parece óbvio que só o sendo.

A questão não se mede pelos resultados.

zazie disse...

Há um nível de selvajaria que pode ser primária.

O psicopta não é um selvagem- é um tipo sem noção de bem e mal e que tem uma necessidade de afirmação por megalomania catastrófica.

é um fascinado pela grandiosidade da ubris da catástrofe.


Este tipo dá ideia que era assim. Tal como o Breivk, tal como os mass killers.


V.s podem chamar a isto doença mas não é depressão que se trate com comprimidozinhos.

zazie disse...

E também pode haver psicoptas que vivem fora da realidade, sem distinguirem a verdade da mentira- mentido compulsivamente para se mitificam como heróis sem nunca matarem ninguém.

Imagino o 44 assim.

zazie disse...

Em comum têm o dom da manipulação e de ocultarem os indícios da loucura.

Fazem-se passar pelas pessoas mais cool e normais possível.

É tudo apresentado como um sonho, um servir qualquer coisa, um destino a cumprir, um triunfo para que se mostram talhados.

Ricciardi disse...

O que tu não percebes é que a maldade não é coisa de doentes psicológicos.
.
O nazismo foi isso mesmo. Uma chusma de gente normal deitada a assassinar. Porque?
.
Espírito de clã. Medo do chefe. Cair nas boas graças do lider.
.
Este é o verdadeiro problema. O tribalismo. A formatação da parte em prol do todo.
.
Por exemolo., tu podias condenar a falsificação di dragão aos meus comentários?
.
Poder podias, mas ficavas de mal com o animal chefe. Preferes ficar bem com o oráculo do que seres tu própria.
.
Rb

Ricciardi disse...

Tu és o exemplo de como se pode prescindir da ética para obter benefícios no clã.
.
Rb

Dragão disse...

Comandante em chefe botas: ordene.

dragoscopio dragao disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
dragoscopio dragao disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
dragoscopio dragao disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
marina disse...

se o tipo se chamasse ali alala era tudo tao simples , nao era ?

zazie disse...

Olha, disseste uma coisa muito inteligente.

Era mesmo muito simples. Nem havia discussão alguma.

marina disse...

a doença mental nao eh nenhum desvio. a doença eh normal , eh expectavel , se nao fosse nao existia serviço nacional de saude :)
claro que esperamos comportamentos ajustados ah natureza humana : o codigo penal esta cheio de exemplos do q consideramos ajustado ah natureza humana :)
o Joaquim anda numa de bom e saudavel selvagem?

zazie disse...

ehehehe

Anónimo disse...

Gostava de conhecer a análise do PA sobre este assunto.

Como ele vê isto na ótica católico/protestante.

Será que um católico mandaria o avião abaixo?

abrenuncio