19 novembro 2014

o obscurantismo é o pechisbeque dos pobres de espírito


No Domingo passado li um texto muito feio - Medicinas em confronto - de um senhor chamado Belo. Deixo aqui uma amostra:
...
Se é certo que não sou leitor de livros de medicina, acontece todavia que utilizei uma bibliografia de alguns volumes de biologia e neurologia moleculares com outros textos doutras ciências (antropologia, linguística, psicanálise, física e química), na tentativa de cumular as lacunas científicas e filosóficas da tradição fenomenológica, as carências do sujeito e da consciência em termos de corpo biológico, sociedade, linguagem, sexualidade e sua restrição pela lei tribal. Ora, para meu grande espanto, os vários livros de biologia e neurologia que li e em que tanto aprendi ignoravam, todos, qualquer referência à anatomia, incorrendo no que diagnostiquei como um preconceito filosófico – também encontrado nas outras ciências, excepto na linguística estrutural (que foi a minha ciência base de abordagem, aliás) – que consiste no privilégio da ‘substancialidade’ interna sobre a cena exterior donde todavia procede a ‘substância’. Ou seja, o raciocínio predominante nesses textos de biologia passava da determinação dos genes para o conjunto do organismo sem a mediação da anatomia, feita em todos os animais para comerem, caçarem sem serem caçados.

Na altura pensei escrever um post sobre o assunto, mas acabei por não o fazer. Hoje, também no Público, um senhor chamado Marçal escreve um belo texto - Amestrar dragões - que, na prática, é uma resposta ao texto feio do senhor Belo. Sem me perder no "privilégio da substancialidade interna sobre a cena exterior", aqui fica também uma amostra deste último.

De facto, os remédios homeopáticos não têm nada a não ser água e açúcar, porque são preparados através de uma série de diluições sucessivas. Começa-se com uma gota de qualquer coisa (não interessa quão asquerosa ou venenosa seja) e dilui-se em 99 gotas de água. Dá-se três pancadinhas, retira-se um gota dessa diluição e dilui-se novamente em 99 gostas de água. Estas duas diluições consecutivas são equivalentes a uma diluição global de 1 para 10.000. Repete-se o procedimento 28 vezes e obtém-se um preparado homeopático com a “potência 30C”, uma solução tão diluída que a probabilidade de lá encontrar uma única molécula da substância original é equivalente à de ganhar o Euromilhões várias vezes seguidas. Qualquer pessoa com conhecimentos rudimentares de química sabe disto. O secretário de Estado do Ensino Superior, José Ferreira Gomes, que assina a portaria, é químico e sabe de certeza. Os homeopatas também sabem e é por isso que dizem que a água retém uma memória das moléculas que teve dissolvidas. Mas essa memória não existe, tendo a suposta prova da sua existência, publicada em Junho de 1988 na Nature, sido uma das maiores fraudes científicas de sempre (se existisse, imagine os traumas de uma molécula de água depois de saltar de um autoclismo). Os remédios homeopáticos não funcionam melhor do que comprimidos de açúcar, porque são comprimidos de açúcar. E é isso que demonstra um extenso corpo de ensaios clínicos (não, não são precisos mais estudos, assim como não são precisos mais estudos para avaliar se a Terra é plana). O secretário de Estado adjunto da Saúde, Fernando Leal da Costa, que também assina a portaria, médico especialista em hematologia, também o saberá.
Em conclusão pergunto: a quem é que o leitor típico do Público dará crédito? Ao senhor Belo, mais às suas manigâncias retóricas pejadas de irracionalidade e de obscurantismo. Ou ao senhor Marçal e ao seu discurso científico, de uma lógica à prova de bala.
Com certeza que ao senhor Belo, o obscurantismo é o pechisbeque dos pobres de espírito. E pobres de espírito sempre os teremos entre nós.

56 comentários:

muja disse...

Pois sim, mas ao ir distraído aí no alto do seu cavalo científico a olhar cá para baixo para os comuns mortais veja lá não leve com um ramo nas ventas.


Os índios da amazónia são imunes ao veneno dos sapos coloridos que andam por lá segregam da pele e que eles usam para caçar com zarabatanas envenenadas. Manipulam os sapos ao passo que qualquer outra pessoa que lhes toque vê-se em apuros...

Donde lhes vem essa imunidade?

A homeopatia pode ser uma grande tanga e não tenho dúvidas que seja, mas os chinos, por exemplo, não são estúpidos, embora sejam supersticiosos.
Outra coisa que não é clara é a que ponto os laboratórios fazem render certas e determinadas curas e doenças...

muja disse...

E mais do que tudo, essa pretensão científica ou cientista, não passa disso mesmo: pretensão.

A medicina é hoje em dia pouco mais "científica" que a história, isto é, apenas na medida em que não é política. E muito pouco não é política.

Por exemplo, o sida e os homens homossexuais. Há quem conteste que aquilo é causado por vírus. E não são Belos. São prémios Nobel e gente que percebe da poda:

http://fr.wikipedia.org/wiki/Contestation_de_la_responsabilit%C3%A9_du_VIH_dans_le_sida

http://www.dailymotion.com/video/xwiu3p_l-imposture-scientifique-du-sida_news
o vídeo é deste senhor:

http://en.wikipedia.org/wiki/%C3%89tienne_de_Harven

As former President of the Microscopy Society of America, he published several papers, mostly related to Cancer Pathologies and electron microscopy procedures for viral explorations.

De Harven is also a prominent AIDS denialist,one of a group invited in 2000 to South Africa by president Thabo Mbeki to serve on a presidential panel on AIDS.[17][18] He published a book in 2005 entitled Les Dix Plus Gros Mensonges sur le SIDA (Ten Lies About AIDS), in which he denies a connection between the HIV virus and AIDS, instead attributing the disease to lifestyle and environmental factors.


Portanto, isto não são homeopatas e na lista encontram-se prémios Nobel de química e gente de alto gabarito. Ora, até que ponto a "ciência" cede lugar à política das "identidades"?

Até que ponto a ciência não indica que levar nos fundos é coisa perigosa e muito pouco saudável, individual e publicamente?


José Lopes da Silva disse...

Beati pauperes spiritu.

zazie disse...

O Fernando Belo é irmão da Maria Belo.

O que ele diz corrobora o testemunho pessoal do Paulo Varela Gomes e estou por eles, contra todos os cientóinos em que o Birgolino se enquadra.

zazie disse...

A verdade é que nenhum desses cientóinos sabe responder ao Paulo Varela Gomes.

Deram-lhe 3 meses de vida por causa do cancro. Já vai para 2 anos e está fino à conta da homeoterapia.

Há-de haver disso bom e mau, como em tudo, mas profissões de fé na cientoinice não são resposta.

Ele tinha de estar morto, segundo a v. fé.

Não está. A farsa da tal homeoterapia salvou-o. A boa da v. Ciência não sabe como nem sabia fazer mais do que prever morte em 3 meses.

zazie disse...

Fiquei muito feliz pelo Paulo Varela Gomes porque é dos raríssimos portugueses de Abril que deixou obra.


Anónimo disse...

Não sei se devemos congratularmo-nos com a cura pela homeopatia ou lamentar um diagnóstico falhado ( ou um falso positivo).
A homeopatia tem forte concorrência da " ida a Fátima a pé".

cumps

Rui Silva

Ricciardi disse...

Pois não sei se a homeoterapia resulta ou não.
.
Tem alguma lógica que funcione. Agua mole em pedra dura... como quem diz, quantidades pequeninas tomadas regularmente se bem não faz, mal tambem não deve fazer. No entanto, a estatistica consegue comprovar que o efeito placebo é um efeito a ter em conta e consideravel. Se quiser a hometerapia resulta pelo efeito placebo.
.
Em suma, se a ciência actual diz que não funciona de forma tão veemente fico sempre à espera que a mesma ciencia amanha venha desdizer o que disse hoje.
.
Não foi assim que aconteceu com a acunpultura. Ouvi dizer que já era método usado nos hospitais e aceite pelos médicos convencionais. Os mesmos que há uns tempos juravam a pés juntos que a acunpultra era um logro.
.
Em que ficamos?
.
Rb

Ricciardi disse...

E depois, bem, e depois tambem não entendo como um cientista quimico pode dizer coisas pouco lógicas. Se um gajo diluir um gota de lixivia para 10.000 gotas de aguá, apesar de ser um percentagem muito baixa, o facto é que a gota está lá. Se beber 10.000 gotas de agua ingere uma gota de lixivia. E pode ser essa gotinha suficiente para afastar a bicharada maligna do nosso corpinho.
.
Existem muitos medicamentos convencionais feitos da mesmissima forma como fazem os homeopatas. A única diferença é que confio mais nos convencionais porque tem laboratórios de controlo de qualidade.
.
Rb

Ricciardi disse...

Mas agora li o Muja. A questão dos indios deve ser isso. Agua mole em pedra dura...
.
Levaram tantas vezes com dozes pequenas de veneno que o corpo imunizou-se.
.
Tem lógica e segue a linha da teoria da evolução e adaptação dos corpos ao meio de darwin.
.
Rb

zazie disse...

O dito diagnóstico falhado foi comprovado cá por uma série de médicos e por outros na América

Enganei-me no nome- o testemunho foi do Paulo Pereira- ele correu tudo e todos diziam que tinha 3 meses de vida.

Ele nem sequer tinha fezada alguma na homeoterapia.

Mas, com a vida a prazo, recorreu a tudo e deixou o testemunho dele para caslar o pretencioso do ateu militante do Carlos Fiolhais isto é continuação da diabtribe e os jacobinos vieram logo a terreno a espernear contra o facto dele estar vivo.

zazie disse...

Esta questão não é de fé.

Foi um exemplo concreto.

E os fanáticos dos cientóinos, em vez de concordarem que a Ciência não tem explicaçõa para tudo, ainda insultam o desgfraçado por estar vivo.

zazie disse...

O Fernando Belo veio defender o Paulo Pereira.

Porque é uma vergonha haver universitários de renome a destilarem veneno contra alguém que lhes estraga o dogma por estar vivo.

zazie disse...

Claro que o Paulo Pereira não disse para se recorrer a mezinhas sempre que se está doente.

O que ele disse é que teve as armas químicas de um lado, a falharem, a não teremv resposta e a homeoterapia do outro a ganhar terreno e dar-lhe qualidade de vida.

Está vivo. Felizmente; em vez de estar morto para dar razão à superioridade do "método científico", como lhe chama o palerma do Fiolhoso.

zazie disse...

Isto começou assim:

http://www.publico.pt/sociedade/noticia/carta-aberta-a-carlos-fiolhais-1675546

zazie disse...

Deu o exemplo dele, em resposta a este artigo do Fiolhais:

http://www.publico.pt/ciencia/noticia/ciencia-diluida-1675128

O resto é polémica de jacobinos que estrebucharam com o caso concreto.

Neyhlup Josand disse...

A acupunctura, apesar do mecanismo de acção não ser compreendido( o vulgar paracetamol também não) tem pelo menos possibbilidade de funcionar, embora os estudos tenham sido inconclusivos( deixo para ler a quem quiser http://www.thecochranelibrary.com/details/collection/691705/Acupuncture-ancient-tradition-meets-modern-science.html

O caso da homeopatia é bem diferente...

A homeopatia é um logro e só pode ser um logro. Ponto. Se funciona como efeito placebo é outra coisa mas tem de ser tratado como tal. O efeito placebo é real e bem conhecido e com efeitos a nível imunológico e não só, que poderiam explicar melhorias, assim como um chá de cidreira ou por uma pedra no bolso. Se funcionar óptimo!

A espiritualidade também tem sido muito estudada como factor de melhoria e protector nas pessoas com doenças crónicas e em situação terminal.


Mas então a questão é ética e deve discutir-se se devemos vender algo simplesmente sabendo que é apenas um placebo e se essa informação não deve ser bem explícita, sendo aceitável vender e manipular emoções descaradamente.

Neyhlup Josand disse...

As palavras não são minhas mas podiam ser.
"Ao contrário da crença popular, a homeopatia não é o mesmo que um produto de ervanária.

A Homeopatia é baseada em três princípios centrais, imutáveis desde a sua invenção por Samuel Hahnemann em 1796.

A Lei da Analogia (ou Similitude)

A lei da Analogia defende que o que quer que seja que lhe causa sintomas, curará esses mesmos sintomas. Assim, se tiver dificuldades para dormir, tomar cafeína ajuda; olhos lacrimejantes por causa da febre dos fenos ou de rinite alérgica pode ser tratada com cebola, e daí por diante. Esta suposta lei é baseada apenas na imaginação de Hahnemann. Não é preciso ter um curso de Medicina para ver o erro no raciocínio que diz que devemos tomar cafeína – um estimulante – para nos ajudar a dormir; no entanto a cafeína é prescrita, mesmo nos dias de hoje, por homeopatas (sob o nome de ‘coffea’) como um tratamento para a insónia.

A Lei da Infinitesimalidade
No seguimento da sua ‘lei da analogia’, Hahnemann propôs que se podia aumentar o efeito dos seus tratamentos ‘igual-cura-igual’ diluindo-os, repetidamente, em água. Segundo Hannemann, quanto mais diluído o remédio, mais potente se tornaria. Assim nasceu a ‘Lei da Infinitesimalidade’.

Se pegarmos numa gota de cafeína e a diluirmos em 99 gotas de água criamos aquilo que os homeopatas chamam de 1 ‘centesimal’. Uma gota deste centesimal é adicionada a outras 99 gotas de água para produzir um 2-centesimal, que se abrevia como 2C. Esta poção de cafeína a 2C é 99,99% água e apenas 0,01% cafeína.
Ao chegar a 3C, a diluição é de 0,0001% cafeína, em 4C é 0,000001% de cafeína e por aí adiante. Os ‘remédios’ homeopáticos chegam usualmente a doses de 6C (0.000 000 000 1%) e até 30C (0.000 000 000 000 000 000 000 000 000 000 000 000 000 000 000 000 000 000 000 1%), sendo uma gota dessa diluição deitada em pequenas bolas de açúcar ou lactose e vendidas como comprimidos.

Quando vemos estes números escritos, é fácil perceber quão absurdos são. Quando se chega a 12C passamos aquilo que é conhecido como a Constante de Avogadro, o ponto de diluição a partir do qual já não deverá haver nada da substância original.

Quando chegamos a 30C, terá mais hipóteses de ganhar a lotaria 5 semanas seguidas do que encontrar uma só molécula de cafeína no blister de ‘comprimidos’ homeopáticos para dormir. Trata-se apenas de água, normal, que foi pingada em açúcar.
A Lei da Sucussão
Ao transportar os seus ‘remédios’ numa carruagem puxada a cavalo, Hahnemann fez outra ‘descoberta’. Decidiu que um abanão vigoroso do ‘remédio’ homeopático aumentaria ainda mais a sua potência. Este processo de abanar foi denominado de sucussão.
Quando prepara ritualmente um ‘remédio’ homeopático, o homeopata abanará ou baterá na preparação em cada passo da diluição, por forma a ‘potenciar’ a diluição.
Os homeopatas modernos acreditam que esta ‘potencialização’ permite à água reter a ‘memória’ ou ‘vibrações’ da substância original, muito após ter sido diluída até desaparecer. Claro que não existem boas provas científicas que sugiram que a água tenha esta capacidade, nem nenhuma indicação de como é que poderá a água usar esta ‘memória’ para curar um paciente.
Funciona?

(continua)

Neyhlup Josand disse...

Apesar de estar assente em superstição, rituais e ‘magia simpática’, as leis inventadas por Hahnemann continuam a ser usadas pelos homeopatas actuais.
Para as leis de Hahnemann serem correctas, teríamos que atirar pela janela praticamente tudo o que aprendemos nos últimos dois séculos sobre biologia, farmacologia, matemática, química e física. As doenças não são tratadas eficazmente com a administração de substâncias que causam sintomas similares; a diluição em série e a sucussão não potenciam um remédio. A água não tem memória, nem maneira de a usar mesmo que a tivesse!
A homeopatia nunca poderia funcionar da maneira que Hahnemann a descreveu, mas será que funciona, apesar disso?
A análise mais completa de tratamentos homeopáticos alguma vez feita foi conduzida pela publicação médica Lancet, em 2005. O estudo analisou todas as investigações clínicas publicadas até então sobre os efeitos da homeopatia, e concluiu que quaisquer benefícios aparentes de ‘tratamentos’ homeopáticos eram simplesmente efeito placebo.
A homeopatia não funciona. Esta conclusão foi defendida pela Cochrane Collaboration, uma rede global e independente de profissionais de medicina que tem como objectivo examinar a pesquisa médica para determinar exactamente que tratamentos são eficazes."

http://1023portugal.wordpress.com/o-que-e-a-homeopatia/

zazie disse...

Explica lá mas é como é que o cancro sem cura do Paulo Pereira regrediu com isso a que chamas magia.

Eu acredito em parte por experiência em muito disso.

Por exemplo- as alergias- não tenho mas cada vez nasce mais gente alérgica ao mundo.

A verdade é que se evitarem as plantas e viverem em redomas ainda ganham mais alegias, cada vez mais fantásticas.

Perlo contrário- quem se habitua a tudo o que é natural ganha defesas natuais.

Quanto ao resto, a ideia do equilíbrio do corpo porque nunca uma doença é isolada, são os próprios médicos, cada vez mais a verificarem isso e a defenderem o memso que a homeoterapia.

Pelo meio pode haver cenas fantásticas porque isso é igual em tudo- os remédios de laboratório também estão cheios de fézadas e cenas fantásticas que só acredita quem nem lê os prospectos.

zazie disse...

Há coisas em que acredito e se pratica na família.

1- A influência benéfica da natureza e do ciclo solar- apanhar so é bom para tudo.

Tratamento do Alzheimer por meios naturais.

Funciona e, ao contrário da trampa de todos os remédios, não lhes rebenta com os rins-

bananas. óleo de coco e banhos de sol, é que faz uma familiar minha de 95 anos e está muitísimo melhor do que quando tomava remédios.

Nem ela nem a minha mãe tomam qualquer medicação. Zero.

zazie disse...

Ora lê-se por aí, até na Associação de Alzheier (que é lobby criado por médicos a impingirem trampa de laboratório) que os velhos deviam tomar tudo e mais alguma coisa e que até lhes faz falta mais comprimidos de cálcio.

Só uma besta quadrada pode dizer isto, vivendo num país que tem sol todo o ano a poder fazer efeito natural de cálcio.

Mas não- enfiam as pessoas em quartos sem luz e depois vá de lhes darem comprimidos de cálcio e mais trampas de ansiolíticos e sedativos.

zazie disse...

Outra coisa em que acredito, por verificação- é nas técnicas de relaxamento chinesas e japonesas.

O taichi é verdade. Só que nisso como em tudo, há os bons e os imitadores e são maos os imitadores que os verdadeiros mestres.

E é caro. Mas há-de valer por mil psicólogos.

zazie disse...

Também acredito no efeito do riso e pratico-o

":OP

Rir faz bem a tudo.

Ricciardi disse...


Josand se a homeoterapia funciona como placebo então funcioma. Se vc disser à clientela que é um placebo deixa de funcionar.
.
O Josand parece ser da área. Pois então, não conhece o caro Joasand medicamentos convencionais que funcionam tambem por diluições de determinado agente ou planta?
.
Vc pode ter razão quando diz que diluições superiores a 12C são tão infimas que não podem produzir efeitos. Isto significa que diluições inferiores a 12C tem efeitos. Bons ou maus, não interessa agora para o caso.
.
Eu acho é que a ciência lida mal com aquilo que não consegue demonstrar. Com as medicinas alternativas e com a religião.
.
Mas o facto de não conseguir demonstrar não quer dizer que sejam falsas esse metodos de cura e que sejam falsas as curas pela fé.
.
Rb

zazie disse...

Exactamente. O problema é a dita ciência se ter tornado uma fezada que não explica tudo e não tolera o que lhe escapa.

São cientóinos- é a fé na Razão iluminada. Uma trampa do séc XVIII que ainda hoje é lei.

Carlos disse...

Zazie,

Em primeiro lugar duvido muito, mas mesmo muito, que algum dos médicos consultados pelo Paulo Varela Gomes (é mesmo ele, não é Paulo Pereira), tenha afimardo que ele NUNCA iria viver mais que 3 ou 4 meses. O que devem ter dito é que, EM MÉDIA, num caso como o dele, essa é a esperança de vida.

Além disso, e mais importante, como é que um caso de progressão mais lenta que o esperado (assumindo, claro, a irrelevância da homeopatia) desmente imediatamente os milhões de casos em que, infelizmente, se confirma o prognóstico dos 3 a 4 meses?

Ricciardi disse...

Ele há mistérios que não sabemos explicar. Não podemos cair nos braços de qualquer feiticeiro alquimista, mas tambem não podemos rejeitar que podem ter alguma razão.
.
O que não compreendo é a atitude base da ciencia. Se existem curas efectuadas por metodos não convencionais a ciencia deve tentar perceber que nem toda a cura devém da lógica cartesiana.
.
As mezinhas tradicionais representam um saber de experiencias feito. De tentativa e erro. E muitas delas funcionam sem qualquer fisico de biologia molecular ter alguma vez dado opinião ou contribuido para isso.
.
A única coisa que me preocupa nas medicinas alternativas é não ter confiança. Têm cursos marados brasileiros, os medicamentos nem se sabe como são feitos e não existe mecanismo de controlo. E como sabemos que o bicho humano tem tendencia para a vigarice não se pode dar liberdade a mais sem que haja controlo como há nas medicinas convencionais.
.
Imagine se os medicamentos convencionais não tivessem que passar e serem aprovados e homologados por um organismo qualquer? o mais provavel era estarmos todos a ingerir falsificações. Como de resto se prova na china que exporta para angola medicamentos falsos. Às paletes.
.
Rb

zazie disse...

Pois é o Paulo Varela Gomes. tinha dito de forma correcta.

Ele não mentiu. Não sei para que é precido inventar-se que o Paulo Pereira nem confirmou o diagnóstico com outros médicos e não teve a mesma sentença na América.

Estás a falar de um sujeito fundador do Política XXI. Um suposto ateu.

Não sei se é este caso que desmente os outros se é a Verdade da Ciência que fica sem explicação para este (e muitos outros casos idênticos)

A que4stão é que quem tem trono aceite e legalizado como sendo a Verdade não é a homeoterapia.

zazie disse...

Paulo Varela Gomes, phónix!

Não mentiu. Deram-lhe esse prognóstico.

Foi precisamente por desespero que recorreu à homeoterapia e mudou tudo, a começar pela alimentação.

O que os cientóinos tinham de saber era responder a este exemplo.

Não é fazer o que tu estás a fazer, inverter o ónus de prova ou partir de má-fé. dizendo que ele mentiu.

V.s não sabem. Ponto final. Mas por corporativismo ou atavismo ceintóino negam quando o que lhes escapa funciona.

zazie disse...

Por exemplo- eu sou perfeitamente racional.

Não tenho a menor icnlcinação para cenas de magia ou mezinhas ou qualqeur tipo de explicação sobrenatural.

Tenha a minha crença católica e mais nada e de forma branda.

Portanto, nunca tive a menia de tomar chás em vez de uma aspirina, mal tenho febre.

Mas, perante coisas que são de ordem diferente, acho que a natureza é mãe de tudo, a começar por ser mãe da própria farmacopeia moderna que é uma continuação da antiga.

Ora a v. estupidez é negarem esta genealogia e acharem que os remédios de laboratório nada têm a ver com a natureza e nascem dos trapos como os ratos- por geração ceintóina espontânea.

zazie disse...

«A única coisa que me preocupa nas medicinas alternativas é não ter confiança. Têm cursos marados brasileiros, os medicamentos nem se sabe como são feitos e não existe mecanismo de controlo. »

Completamente. também eu. O problema é esta treta ser praga brasuca e ter milhares de vigaristas atrelados.

É como no tai-chi. Até se encontrar um bom mestre pode-se correr meio mundo de charlatões.

zazie disse...

Mas é o mesmo problema com os médicos!

Até se encontrar um bom médico pode-se derreter todo o dinheiro em charlatões analfabetos!


São como as mães mas passam todos por serem altamente científicos por causa do estatuto legal e do canudo.

A maior parte devia ir de cana porque são vigaristas e analfas que vivem nessa impunidade do manto "científico".

Anónimo disse...

Olá Zazie,

Parabéns pela clarividência da sua introspeção:

"eu sou perfeitamente racional"

:-)
Joaquim

zazie disse...

Mais que v. seu toino (e nem sei se é elogio constatar que o sou).

":OP

zazie disse...

Não sou minimamente dada a crendices nem ideologias nem espiritualidades e tenho o vício do pensamento lógico.

Toda a gente que me conhece confirma-o.

E, como digo, nem sei se é um elogio porque me escapa muita coisa ao lado.

zazie disse...

Ao contrário de v. não tenho gurus e também nunca me passaria pela cabeça ir a uma sessão do "Life Training".

V. é cientóino estilo exótico. Compra todos os pacotes que lhe pareçam da moda.

Anónimo disse...

Zazie,

"Não sou minimamente dada a crendices nem ideologias nem espiritualidades e tenho o vício do pensamento lógico"

Isso é uma crença, V. acredita nisso. :-)

Joaquim

Gostei do cientóino exótico - faz o meu estilo.

Carlos disse...

Eu não disse que o PVG mentiu nem tentei inverter nenhum ónus de prova do que quer que seja.

O meu ponto era apenas questionar a explicação linear aqui apresentada:
"Deram-lhe 3 meses de vida por causa do cancro. Já vai para 2 anos e está fino à conta da homeoterapia."

Quando um médico "dá 3 meses de vida" não creio que esteja a afirmar que aquela pessoa vai viver apenas 3 meses. Está apenas a dar um prognóstico baseado em estatistica.

Onde é que está a prova, pergunto eu, que o homem "está fino à conta da homeoterapia."? Quantos casos existem de doentes com situações semelhantes? Sim, porque da medicina convencional conhecemos sem dificuldade as estatisticas de cura, quanto à homeopatia o que aparece as mais das vezes é isto, casos isolados atirados como "prova" e que não provam nada, que não possa ser explicado apenas pela marginalidade das remissões expontâneas. Ainda bem para pessoas como PVG, fico muito feliz por eles. Mas se tiver que por as minhas fichas em algum lado ponho na medicina convencional.

Anónimo disse...

Caro Carlos,

Não leve a Zazie mt a sério. Ela não pensa 1 seg s. o k diz.
O seu argumento não é compreensível para a grande maioria dos portugueses que adoram casos anedóticos.
Toda a gente tem um vizinho ou um amigo ou ouviu k coisa...
O melhor é usar a ironia. É o k eu faço.
Explicações abstractas só em estrangeiro...

Joaquim

Anónimo disse...

A maior parte das pessoas que recorre às medicinas alternativas também usa a MEDICINA
Deve ser o caso em apreço

:-)

marina disse...

temoa o jacques benveniste para acompanhaar o sr. belo . benvenise era medico e imunologista , cientista , poortanto , e tinnha umaa teoria sobre a memoria da agua . muito a frente ou cientista do ignobil ? va se la saber , na volta muito a frente.

zazie disse...

«Quando um médico "dá 3 meses de vida" não creio que esteja a afirmar que aquela pessoa vai viver apenas 3 meses. Está apenas a dar um prognóstico baseado em estatistica.»

Não foi um. Foram muitos. Foram todos. Cá e nos EUA.

zazie disse...

«Onde é que está a prova, pergunto eu, que o homem "está fino à conta da homeoterapia."? »

Está fino à conta da radioterapia, ou da quimioterapia?

Está fino à conta de não se ter tratado ou de ter tratado do corpo todo?

Eu também não acho que isto seja regra.

Mas é um entre muitos exemplos.

Ele mudou tudo. Mudou a alimentação, por exemplo.

Não imagino como um tumor regride ou desaparece desta forma.

Mas a verdade é que não avançou como a Ciência dizia.

zazie disse...

«A maior parte das pessoas que recorre às medicinas alternativas também usa a MEDICINA
Deve ser o caso em apreço
»

Claro!

Ou faz<em peregrinações a Fátima

":OP

Em casos extremos vale tudo. Seria estúpido deizer para alguém não tentar nada de diferente quando tudo o que a boa da Ciência oficial o mais que consegue é dar prazo de 3 meses de vida.

O ser humano é mais inteligente que os saberes que produz.

Em se sentindo aflito todos tentam superar-se.

Claro que estúpido seria negar um tratamento normal e apenas acreditar nas mézinhas.

Conheço quem estava com tumor no útero e se recusava a operar. Andou anos em badalhoquices chinesas com cremes e tretas no género. Os tipos deppois mediam o diâmetro da barriga e diziam que o tumor estava a diminuir.

Como é óbvio, estava a aumentar para dentro.
De tal modo que atacou os rins e provoxou tromblofebite.

Foi operada de urgência e salva pela boa da medicina oficial.

Eu fartei-me de lhe dizer para seguir o que diziam os médicos e fazer operação.

Mas, nesse caso, a pessoa era como o Birgolino- toda dada a "espiritualidades" e crendices fora do lugar.

Como eu sou a básica racionalista, nunca teria feito o mesmo. Porque tudo tem a sua lógica e ela pura e simplesmente tinha medo da operação por maus resultados que já tinham acontecido na família.

Essa é que a posição das crendices.

A posição racional é a de conjugar tudo.
Eu nem sei detalhes de homeoterapia. Sei apenas a questão de base que me patece ter toda a lógica já que a medicina se desenvolveu assim- um corpo é um todo; tem de ser tratado como um todo.

Não existem sintomas isolados do resto, ainda que se partir um braço não seja necessário ir ao dentista.

":OP

Euro2cent disse...

Mais ainda que o vulgo supersticioso, os cientistas são capazes de acreditar nas coisas mais estapafúrdias. O que faltam são exemplos, desde o Pauling da vitamina C aos físicos mais abstrusos. Aqui neste estabelecimento nos brindaram há dois dias com uma variante psicológica da homeopatia, e agora vêm desancar a crendice alheia?

Lá porque um fulano é bom a sujar e lavar tubos de ensaio e tomar nota dos resultados, não quer dizer que consiga pensar mais a direito que um Platão ou Aristóteles, que também têm uma bela lista de "bloopers" no YouTube (se não têm, deviam ter, lembrei-me dessa agora).

Pobres macacos com mania das grandezas. Espera-se o dia de virem aí umas inteligências artificiais perfeitamente racionais acabarem com esta espécie tão falível.

Certo?

zazie disse...

O Birgolino é um idiota que nem se enxerga.

Ele julga que passa por racional em me insultando e fazendo um retrato dele próprio.

zazie disse...

« os cientistas são capazes de acreditar nas coisas mais estapafúrdias»

Completamente. Não há gente mais emproada e a estatelar-se no chão.

Sempre cheios de fézadas que num dia são milagres e dois dias depois afinal era engano e a coisa até deve ser retirada do mercado.


Só por falta de feticeiro da tribo e tv as pessoas depositam fé nessa malta da bata branca.

Há-os completamente imbecis.

A um nível que só deve ser superado pelso políticos.


Também há excelentes mas é a percentagem é mínima.

Dentistas, por exemplo. Corri tudo até descobrir o melhor do mundo

":OP

O Amorim Afonso é o maior. É único.

É um génio artista e que Deus o guarde por muitos e bons anos que eu tenho muito orgulho na minha dentuça.

Se não fosse tão crítica e racional tinha acreditado no que diziam todos há uns 30 anos e tinha perdido a dentuça.

Mas não acreditei porque sempre fui racional e exigente.

E descobri quem sabia arranjar e manter tudo sem precisar de arranca.

Todas as pessoas que o conhecem dizem o mesmo que eu- é o maior e único em Portugal inteirinho.

":OP

Tem 2 filhos a aprender com ele. Tirando ele, para operação, é o Maló.

Está milionário e faz sentido que esteja porque também é unico a operar.

zazie disse...

Oftalmologista também conheço o único em Portugal

eheheheh

Ser racional é isto- procurar o que é raro e guardar porque de médicos charlatões está o mundo cheio.

zazie disse...

Agora este debate entre Fiolhoso e Paulo Varela Gomes foi outra coisa.

Foi a tribo dos cientóinos e ateus militantes que se juntou.

Eu nem sabia mas essa malta é de tal modo doente dos cornos que até já têm associação de "Cépticos" onde vendem ateísmo republicano

ehehehhe

São uma anedota. É daqui que sai todo o amparo aos aventais.

A cientoinice ateia e republicana.

zazie disse...

A militância desta malta é que me intriga.

Ora veja-se. Logo duas e com os mesmos ateus militantes arregimentados pelo estalinista do Bode Esperança:

http://comcept.org/

http://www.cepo.interacesso.pt/


Uma das sujeitas é feia que nem um bode. Uma autêntica bruxa com verruga e tudo

":O))))))

zazie disse...

Ah, outro detalhe que é histórico nestes ateus militantes: também dão conferências sobre judaísmo...

muja disse...

Diz-se por aí que o diabo está nos detalhes...

zazie disse...

Pode crer. É um fenómeno e uma coincidência de há séculos. Um pequeno detalhe- sempre o mesmo.

zazie disse...

Olha-me só a carinha desta céptica:

http://comcept.org/2014/02/14/comcept-no-portugal-no-coracao/

Por favor, uma tipa destas devia andar de burka

":O)))))))

zazie disse...

E o Marco Filipe ahahahahah

Outro com uma focinha que faz favor.

Desgraçadinhos que a fealdade é espelho da alma

":O))))))