13 março 2014

um perigoso neoliberal

“A 27 de Abril, os trabalhadores terão 100 euros a mais nos seus salários”, disse o primeiro-ministro do Partido Democrata, de centro-esquerda, ao jornal La Repubblica, ainda antes de apresentar os seus planos. “Queremos distribuir este dinheiro de maneira a que quem ganhar 1200 ou 1300 euros por mês possa dar algo mais à sua família. Quero que um pai possa dar 20 euros ao filho para que vá comer uma pizza ou que uma mãe tenha 50 euros mais para comprar qualquer coisa que deseja já há algum tempo. Isto é ser de esquerda. É a medida mais de esquerda dos últimos anos: oferecer a quem tenha baixos rendimentos mais 1000 euros por ano”, defendeu Renzi, falando da sua “reviravolta positiva”.

Público

4 comentários:

Anónimo disse...

Ao mesmo tempo, Renzi propõe-se fazer cortes nas despesas do Estado no valor de três mil milhões de euros. Uma possibilidade é cortar nas retribuições pagas aos dirigentes públicos, que estão acima da média europeia, disse Carlo Cottarelli, comissário extraordinário para a revisão da despesa do Estado, numa audição no Senado. Serão reduzidas as viaturas atribuídas aos ministérios - vai realizar-se um leilão de 1500 veículos, entre 26 de Março e 16 de Abril, anunciou Renzi. As reformas mais generosas serão chamadas a contribuir, enquanto os orçamentos da televisão pública RAI e das forças de segurança poderão também ser revistos, adianta o jornal La Repubblica.


.
Principios de Alzheimer?. Nao, nao. O Joaquím ficou tao anraivado com a leitura do paragrafo anterior que foi incapaz de continuar a ler o artigo do Publico na sua completa totalidade...:)

Anónimo disse...

Caro anónimo,

Eu sou 100% a favor de cortes na despesa.

Eu fiquei contente com estas medidas. :-)

Joaquim

mujahedin مجاهدين disse...

Pronto, ficamos a saber que o dr. Salazar e o prof. Caetano eram, na realidade, de "esquerda".

Afinal, foi nos seus consulados que os portugueses começaram a receber pensões e ordenados a tempo e horas, até um 13º mês e uns abonozitos...

Anónimo disse...

"um corte no valor de 10 mil milhões de euros nos impostos dos contribuintes com rendimentos mais baixos" (...)
Ao mesmo tempo, Renzi propõe-se fazer cortes nas despesas do Estado no valor de três mil milhões de euros."

Sou a favor de cortes na despesa e nos impostos actuais que não impliquem aumentos de impostos e da despesa no futuro. Também sou a favor de contas bem explicadinhas...