17 maio 2018

jantar

Foi há três ou quatro semanas, as notícias sobre a situação das crianças internadas no HSJ estavam ainda no auge, que um amigo me convidou para jantar em sua casa.

Trata-se de um senhor de muita idade, perfeitamente saudável e activo e com uma vasta experiência de vida. Queria saber sobre o Joãozinho porque ele próprio é mecenas do Joãozinho.

De pé, em privado, junto aos nossos respectivos lugares na mesa, estive a contar-lhe, enquanto os outros convidados ainda conversavam na sala e os primeiros indícios do cozido à portuguesa começavam a ser colocados na mesa.

Ouviu-me em silêncio durante uns minutos. Até que eu cheguei ao final descrevendo a situação actual do Joãozinho: "Tenho a obra parada há dois anos; e agora sou réu em Tribunal".

Ele olhou para mim com um ar incrédulo, pareceu reflectir por uns momentos e comentou:

"Pois...o Pedro Arroja...

a)... nunca os convidou para a sua moradia na Foz..."
b)... não lhes pagou as comissões..."
c)... anda para aí a privatizar os rios..."
d)... nunca lhes serviu um cozido como este..."
e)...nunca lhes deu a beber este vinho da Bairrada...".

O cozido já estava todo sobre a mesa e os convidados sentavam-se. E assim fizemos nós.

Foi um excelente jantar.

(Publicarei a primeira resposta acertada. O espanhol hoje está em forma, só falhou uma, que foi para o José Lopes da Silva. Deve ser um independentista catalão)

6 comentários:

Manolo disse...

b) No pagou las comissiones.

Anónimo disse...

Que estranho espanhol este, que escreve "pagou" com "ou" e "comissiones" com dois "ss".

José Lopes da Silva disse...

Oh céus! Não se pode interromper para jantar.

Anónimo disse...

Também já me tinha parecido que este espanhol às vezes parece mais da Avenida de Madrid ou da Praça de Espanha do que de Barcelona.

PA

Zé do Pipo disse...

Hoy Manolo está siendo un auténtico matador. Olé!

Manolo disse...

Yo intento escribir portunhol.