24 setembro 2014

no meu tempo de vida

A civilização árabe colapsou. E não vai recuperar no meu tempo de vida.

PS: Muitas vezes penso também que Portugal não irá recuperar no meu tempo de vida. Os fenómenos sociais levam décadas a evoluir e a vida é demasiado curta para vermos mudanças significativas.

7 comentários:

Rui Alves disse...

Já somos dois. Com algum optimismo, talvez os meus netos vindouros possam disfrutar de um país decente e com juízo. Mas isso presume que cá permaneçam descendentes meus dispostos a aturar isto.

CCz disse...

No entretanto, caro Joaquim, deixe de preocupações macro e celebre os seus sucessos e os de outros que conhece ou ouve falar. A realidade micro é muito mais rica e interessante.
.
A mãe babada que põe foto da bebé com 6 meses no FB e recebe 50 gostos numa hora, não acredita que este seja um ano perdido, ou uma década perdida.

Anónimo disse...

Caro CCz,

Obrigado pelo conselho. Pena que não me consigo entreter com a realidade micro, cheira-me a telenovela.

:-(

Joaquim

CCz disse...

Pena, todas as semanas contacto com organizações, que à sua maneira micro vão construindo um futuro interessante, o seu futuro.

Neyhlup Josand disse...

O CCz já descobriu o caminho da felicidade( abstrair-se de ver tv e ser contagiado por notícias negativas) :)

Olhe esta Joaquim: Como a civilização árabe "colapsou" mas o que de lá está a sair não é grande coisa e o EI já tem franchises.

Na Argélia, a exportação da ideologia islâmica… está a ficar mais perto e dentro em breve os que já estão cá dentro de fronteiras podem começar a tomar isto por dentro…

“Depuis, la France a suivi l’Amérique et l’heure n’est plus aux « avertissements ». Depuis, une nouvelle vidéo est en ligne. La vidéo de l’assassinat d’Hervé Gourdel, un Français, tué en Algérie, sous la lame d’islamistes radicaux du groupe Jund al-Khilafa, se revendiquant du même État islamique (EI)”

http://www.marianne.net/EI-comment-la-theatralisation-de-l-horreur-s-exporte_a241588.html

mujahedin مجاهدين disse...

Então já sabe o que pode fazer pela Pátria: encurte esse tempo.

Antonio Cristovao disse...

Usar um pouco do nosso tempo a comparar as condições de vida e segurança em Portugal com todos os países do mundo faz bem ao ego de qualquer um que não goste de acreditar em tudo o que lhe dizem. Isto usando numeros publicados pela ONU, Banco Mundial ou outra org que não dependa dos trols daqui.
Estamos muito bem (34) apesar de todos os dias ouvirmos os deputados na AR a clamarem a miseria da maioria do povo. Cada um acredita no deus que quer claro.