23 setembro 2014

barbárie

A que sabe a carne humana?

Deixem-me traduzir a notícia:

É um pensamento macabro, mas um ser humano carnívoro não pode deixar de pensar, de vez em quando, no sabor da carne humana.
...
Como o canibalismo é ilegal... temos de recorrer a relatos de assassinos... para responder a esta pergunta.
...
E é com base nessa informação que dois cozinheiros de Londres se propõem confecionar hambúrgueres que sabem a carne humana.

Comentário: Como é que uma sociedade que vende hambúrgueres com sabor a carne humana tem autoridade moral para condenar, por exemplo, as decapitações do EI. Não estaremos a falar, em ambos os casos, de um regresso à barbárie?

4 comentários:

Neyhlup Josand disse...

(ironia) Se houver mercado para os hambúrgueres... porque não?

Aproveitar e relembrar que em tempos Pedro Arroja, talvez na faculdade de académico
(no sentido de questionar tudo, sem propriamente ter em conta a sensibilidade social e com puro propósito filosófico) ou não, ter falado na hipótese de existir um mercado de órgãos.
Ainda mantém a mesma opinião? Ou era simplesmente um exercício académico?

Euro2cent disse...

E os os livros do D.H.Lawrence, podem-se proibir de ser publicados por obscenos?

Parafraseando o MEC, o liberalismo é fodido.

Anónimo disse...

Não conheço o sabor, mas o cheiro foi-me descrito por uma bombeira : cheira a carne de porco assada.

Será que é (também) por isso que algumas religiões a proíbem ?

Anónimo disse...

Não conheço o sabor, mas o cheiro foi-me descrito por uma bombeira : cheira a carne de porco assada.

Será que é (também) por isso que algumas religiões a proíbem ?