14 maio 2014

ao serviço do Diabo


Será a vida tão preciosa que a devamos preservar num estado de ausência de consciência sapiente ou até de inconsciência?
Para mim, a respostas é clara. Se não puder ver a luz (usar a razão) prefiro regressar ao pó.
Um médico que não saiba respeitar esta vontade de um doente “não está ao serviço de Deus, está ao serviço do Diabo”.

45 comentários:

zazie disse...

Mas quem é qeu lhe disse que v. tem consciência das besteiras que diz?


V. é um tolinho. E tem todo o direito à vida porque dos tolos também é o Reino de Deus.

":OP

zazie disse...

Não se preocupe que, só por esse facto, tem lugar assegurado lá em cima.

Cá em baixo é que é mais complicado...

":OP

zazie disse...

Qualquer demente não tem consciência da maior parte das coisas.

Não tendo memória não se tem grandes sentimentos, nem emoções, nem depressões.

Mas tem-se pequenos prazeres. E o nosso cérebro até inventa mundos.

zazie disse...

E tem todo o direito e mais alguém à vida, mesmo não sendo preciso a ninguém.

E a obrigação é cuidar destas pessoas como iguais.

Como iguais!

zazie disse...

Ausência de consciência sapiente é o estado dos bebés.

Devia matá-los logo, porque isso é obra do Diabo.

zazie disse...

Aliás, esse até é o argumento para o aborto e foi com esse mesmo argumento que o nazismo legalizou a eutanásia sobre doentes mentais.

zazie disse...

E o comunismo, idem.

V. é filho destas trevas das Luzes.

zazie disse...

O seu problema é ser um fraco.

Eu tenho medo de homens fracos.

Podem ser os mais perigosos.

zazie disse...

Mas agora explique lá.

V. qualauer um de nós, pode literalmente ficar demente pois a demência é cada vez mais o futuro a partir de determinada idade.

Só que vai sucendendo aos poucos.

Quando se fica sem a noção dela, já se está.

Agora explique como é que fazia se já estivesse um papteinha alegre e demente.

Porque a demência nem tem de dar sofrimento. É uma forma de loucura sem tara nem psicoses nem nada.

É um estado de infatilidade e um mundo de nonsensse.

A que título é que uma pessoa neste estado é menos que um racional filho -da-puta no activo?

zazie disse...

É uma questão que, por motivos familiares, tenho vivido nos últimos anos.

Tem até servido para pensar acerca de muita coisa.

Mas, o principal é a reacção dos outros a este mundo de inconsciência racional.

O problema é que os racionais t~em taras, têm pulsões estranhas e estão cheios de medo.

E os racionais estúpidos e sem sentido de humor, querem puxar para a racionalidade quem a perdeu.

E, como não conseguem, desesperam e desprezam ou quase preferiam que o irracional alegre ou aptático a viver lá no mundo dele, não existisse.

Porquê?

Eu tenho uma ideia formulada nos últimos 5 anso que tenho vivido com esta questão.

Não querem olhar, não querem lidar com isso porque são pessoas de personalidade fraca e é a eles que se vêem no lugar do outro.

Nas suas inseguranças psíquicas.

Quanto mais insegura e mais estúpida é uma pessoa menos consegue aguentar o nonsense da irracionalidade dos outros.

zazie disse...

E quanto mais lamurientas por falta de sentido de dever, mais vítimas depois se acham em função de cuidarem dessas pessoas.

Os fracos são perigosos. É a ideia que tenho.

Fingem que choram nos outros a permanente auto-comiseração em que vivem.

zazie disse...

O dever liberta.

Foi o que aprendi com esta experiência.

Anónimo disse...

São muitas perguntas cara Zazie ;-) É muita informação... e quase que aposto que o autor deste blog vai esquivar-se com aquele sentido de humor que lhe é muito peculiar... Será que a inconsciência tem consciência que é inconsciente?

Maria Rebelo

zazie disse...

A inconsciência nunca é total.

Mas em alguém demente é diferente da fuga á consciência de quem está de saúde.

É complicado.

Sei que também não nasci nem para médica nem para enfermeira mas nunca me aterrorizou o mundo irracional.

Pleo contrário. Sempre achei que perigosa é a loucura racional.

zazie disse...

Há um fenómeno giro que fui observando.

Quanto mais a racionalidade se vai maior paz de espírito a pessoa ganha.

Ficam a bem com o mundo.

Uma pessoa numa cadeira de rodas ou acamada, desde que não tenha doenças físicas e não esteja drunfado, é uma pessoa em paz com o mundo.

Poque se liga ao mundo pelas sensações. Por isso é que o fim-de-tarde é o momento da síndrome onde a agitação dos terrores nocturnos mais primordiais tende a vir.

Acho que tudo isto requer sabedoria, alegria e muito sentido de humor para se lidar com o facto.

Mas a mim é que ninguém vem com a treta que é por causa do coitadinho que até o afastou para um lar.

Mentira- o coitadinho é o próprio que é fraco e não se aguenta a si próprio.

Ricciardi disse...

Muito bem, zazie.
.
Rb

Ricciardi disse...

O coitadinho é o próprio. Bem dito. Até me parece mais que se trata de um certo egoismo. O focus deixa de estar em quem está a sofrer e precisa de ajuda, mas centra-se naquilo que o próprio vai perder.
.
A maior parte das pessoas, e na volta é coisa natural, toma decisões acerca da vida dos outros para nao ter chatices na sua propria vidinha.
.
É melhor que se vá do que passar a vida acamado feito um vegetal, ouve-se. O que eu escuto é outra coisa. É melhor que se vá porque me vai dar imenso trabalho.
.
Rb

Ricciardi disse...

E que dá trabalho, lá isso deve dar. Tu sabes melhor do que ninguem por causa da tua mae. Mas sentes-te certamente melhor ajudando-a no que podes do que se nao o tivesses feito. Além do mais ela passou muito tempo a dar-se ao trabalho de te tratar...
.
Rb

zazie disse...

Não é minha mãe, é minha tia.

A minha mãe está mais lúcida que eu, mas também caiu

ehehehehe

Tudo dá trabalho na vida. E há coisas que pura e simplesmente acontecem sem que se tenha pensado que podiam acontecer.

Depois há que viver com elas com o maior instinto de vida que se tenha.

E eu sou pessimista em relação à sociedade mas tenho um brutal instinto de vida
eheheheh

zazie disse...

Mas, sabes o que é mais inquietante?

É que já se educam jovens como o Birgolino diz.

E depois esses jovens já nem conhecem avós nestas situações porque "foram para o lar".

E ao lar só se vai em visita por pequenos momentos.

Este mundo foi afastado da vida natural em que sempre esteve no passado.

zazie disse...

Nunca pensei sequer no devia ou não devia fazer.

É por instinto. Acho que tenho mesmo o instinto de dever e nem me perguntem em que consiste.

Sei que consiste em não sentir fardo e saber o que fazer.

Mas olha que nem posso dizer, para falar verdade, que entraram sentimentos retributivos ou afectivos para o dever.

Acho qeu não. É instinto e pronto.

Também a pessoa é parecida comigo (ou eu com ela)- tem brutal instinto de mando e estético e nunca foi sentimentalona.

zazie disse...

Eu j+a ouvi pior que isso.

Ouvi uma dondoca na casa dos 30 anos, no super-mercado, apenas por eu, na brincadeira, ter passado à frente, enquanto ela foi buscar mais qualquer coisa a dizer pior.

Eu passei à frente e, quando ela chegou, ainda brinquei e disse que "quem vai ao mar perde o lugar".

Claro que depois disse que o lugar era dela mas, por acaso, até estava com pressa pois tinha de ir dar o jantar a uma pessoa demente (acho que disse com Alzheimer porque assim percebem melhor, mesmo nem sendo essa a variante da demência).

E a putona beta vira-se para mim e diz:

Olhe, se está com Alzheimer então nem faz cá falta alguma. Que espere que não morre por isso".

Assim, a putona beta a atirar com esta sentença.

Está claro que respondi e nem vou dizer como
eehheheheh

Ricciardi disse...

Mas imagino. Ehehe
.
Rb

Ricciardi disse...

Joachim, existem condicoes de saúde em estado de inconsciencia que vc possa garantir que sao irreversíveis?
.
Rb

Álvaro Queirós disse...

deixo aqui um link, sobre um Filme que aborda este tema...

http://pt.wikipedia.org/wiki/Amour_(filme)

Ricciardi disse...



Joachim, imagine que existem 20 maquinas para 30 doentes. diga em que situacoes é desligava a maquina de um doente para meter lá outro.
.
Rb

Ricciardi disse...

Ahhh, espere, faça de conta que a seleçao nao podia ser efectuada atraves de um preço pago em dinheiro, desligando aqueles que nao podem pagar e elegendo os que podem pagar um preço.
.
Rb

Anónimo disse...

Caro Rb,

Quem sou eu para ligar ou desligar? Pk não liga e desliga V.?
:-)

Joaquim

Ricciardi disse...


.
Mas imaginando que o o caro joachim é alguém que tem de decidir, e tendo formacao em ciencias medicas, como é que decidiria?
.
Rb

Ricciardi disse...

Eu nao sei como nem quando desligar. Falta-me conhecimento medico. Na volta desligava um tipo simplesmente anestisiado ou a dormir a pensar que estava morto.
.
Entao, se vc tem consciencia de que os recursos sao finitos e que prioridades devem ser estabelecidas deve ter um criterio medico para fazer uma escolha. Um criterio nao economico, mas simplesmente medico.
.
Se eu perguntar isto a um padre eu sei ou imagino o que ele me responderia. Se perguntar isto a um gestor de hospital privado eu sei o que ele me responde. Mas ainda nao sei o que responderia o joachim.
.
Rb

Ricciardi disse...

Mas para vc nao desformatar o cérebro, pronto, imagine que os 30 tipos a necesitar da maquina são todos muito ricos. Os mais ricos do mundo. Onde o preço a pagar é indiferente para todos eles.
.
Assim sendo, como decidiria o joachim?
.
Rb

Anónimo disse...

Caro Rb,

O seu erro é que o problema que me coloca não é médico. É um problema de gestão de recursos.
É portanto um problema de gestão com implicações de natureza política.
Sublinho:
Não é um problema médico.

Joaquim

Anónimo disse...

Em todos os post que escrevi até agora sobre este assunto, apenas manifestei a minha vontade pessoal no que a mim diz respeito.

Os problemas dos outros não me dizem respeito. Enquanto médico, respeito a opinião dos doentes.

Joaquim

Anónimo disse...

Caro Rb,

Veja neste último:

Para mim, a respostas é clara. Se não puder ver a luz (usar a razão) prefiro regressar ao pó.

PARA MIM. Claro k outras pessoas têm perspectivas diferentes, é normal.

É por isso k os comentários da Zazie são hilariantes. Sacou a tripar com as minhas opções pessoais.

Até se espoldrinhou, coitada. Ou c___u, enfim.

Diarreia mental. Mas k tem piada tem.

Joaquim

Pável Rodrigues disse...

Pronto. Reconheço que afinal quem fez de "imbecil" fui eu: não era de Medicina que se tratava. O que queriam, na ausência do "prof/mestre convertido", era discutir o "sexo dos anjos". Confesso que o autor do "post" me desiludiu. Julgava-o com outras preferências sexuais!Quanto à zazie, mostra-se cada vez mais competente a discutir o lugar deixado vago no BE pelo insubstituível Rui Tavares. Aí é que o Joaquim se vai passar dos carretos: a zazie e a Catarina Martins formam um par irresistível. Ainda vou ver o Joaquim a levar-lhe as alianças...

Anónimo disse...

:-)

Joaquim

zazie disse...

Imbecil. Um comuna é comuna e imbecil para toda a vida.

Um palerma, como o Birgolino, idem.
Tem de se pendurar nos outros quando leva de 3 em pipa.

zazie disse...

Como é que um toino destes julga que usa "a razão"

O palerma nem sabe as gradações que a razão tem e aquelas que desconhece.

zazie disse...

Querem ver como ele não consegue responder por ser burro.

1- Explique lá o que é que o preocupa em termos de racionalidade quando não se der conta sequer de que a perdeu.

Vá, explique porque isso é da mesmíssima ordem de dizer que preferia estar morto do que vivo.

Não sabe.

2- A única questão que alguém que perdeu a consciência ou as suas faculdades mentais pode temer é a imagem perante os outros .

Portanto, v. apenas pode inferir que não gostava que o vissem assim. Mesmo que sem qualquer sofrimento.

3- Donde, a questão repete-se: e para os outros? para os seus? como é que pode saber o que é preferível?

É como um suicida- é sempre um acto de egoísmo.

Neste caso v. é parvo e cobardolas porque o que disse aí é que um médico que tente reanimar alguém trabalha para o demo.

E era a isso que tinha de respbnder e o morgadinho bem lhe perguntou.

mas há coisas que não se compram com todo o dinheiro do mundo- uma delas é a inteligência.

zazie disse...

O retardado mental do Pavel até vê a defesa da vida ser feita por comunas e bloquistas.

De tal modo o tipo é retardado mental que não conseguiu dizer mais nada acerca de mim.

Tadinho do comuninha que é monguito todos os dias.

marina disse...

o novo estado mortovivo ou vivomorto é claramente criação demoníaca , pois é , Joaquim :)

mujahedin مجاهدين disse...

Para mim a culpa é da democracia. ahahah

Este admirável mundo novo, em que toda é gente tem de ser igual dá nisto: quando se lixa, é por igual também.

Sem gente em casa, quem toma conta e faz companhia aos novos e aos velhos? Ninguém.

Os novos vão para o aviário-escola, e os velhos para o lar-cemitério.

Entretanto, os do meio passam a vida a marrar exactamente onde marraram os pais, porque nunca conheceram os avós fora dos quinze minutos do lar.

Não existem hoje em dia muitas circunstâncias onde velhos convivam com novos espontaneamente, mesmo dentro das famílias. Fora delas então...

É um dos principais problemas desta maravilhosa sociedade democrática, e há-de ser o que nos há-de levar completamente ao barbarismo da arrogância ignorante.

Um sociedade (ou família, ou grupo, ou conjunto) privada do saber dos seus membros mais experientes - dementes ou não - é uma sociedade condenada.

A mulher cheia de direitos é em chegando ao lar que conhece a verdadeira igualdade, implacável e impiedosa, da solidão.

Mas cuidado! Os nazis ainda vêm aí outra vez invadir a Polónia! É preciso é assegurar a democracia para as conchitas deste mundo!

zazie disse...

"barbarismo da ignorância arrogante"

Diz bem e pergunte lá a estes palermas como é que acham que um médico sabe que alguém não quer ser reanimado em apragem cardáica.

Imaginemos que até se está a afogar. Vão lá os banheiros e fazem respiração aertificial.

Tem de ser rápida; não encontram tatuagem nem pulseirinha a dizer- deixe-me "deixe-me morrer porque sou ateu mas são os desíngios de Deus".

No meio da reanimação respiratória dá-se uma paragem cardíaca- as coisas passam-se em fracções de segundos.

Se o paramédico ainda estiver a reanimar o que quer morrer, é culpado se por acaso até o salvar?

Anónimo disse...

Pois é. Mas o que tem piada,no meio disto tudo, é que ninguém consegue apanhar o Palito! eheheheheh!

Anónimo disse...

Peço desculpa, mas parece que também já estou apanhado...